Déficit orçamentário do órgão é de R$ 330 milhões, valor necessário para o pagamento das bolsas até o fim do ano.

O Ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, afirmou nesta sexta-feira (16) que há risco de que as bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) fiquem sem pagamento em setembro.

O déficit orçamentário do órgão é de R$ 330 milhões, valor necessário para o pagamento das bolsas até o fim do ano. Nesta quinta-feira (15), o órgão suspendeu a assinatura de novos contratos de bolsas de estudo e pesquisa.

Entenda o déficit orçamentário do CNPq

A declaração foi feita em coletiva de imprensa após a posse de Darcton Policarpo Damião como diretor interino do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São José dos Campos. O órgão aguarda recomposição de R$ 330 milhões para o pagamento das bolsas até o fim do ano.

De acordo com Marcos Pontes, há uma negociação com os ministérios da Casa Civil e Economia, mas não há data.

“O Paulo Guedes me explicou que há uma previsão de injeção de verbas vindas de bancos, como a Caixa, e que vai priorizar a nossa demanda. A previsão é que até setembro isso aconteça, mas à frente nós aguardamos acontecer para tranquilizar sobre o assunto. Ainda assim, Paulo Guedes me deu sua palavra e eu confio”, disse.

O recurso é necessário para cobrir o déficit previsto pelo CNPq desde o ano passado, quando a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019 foi aprovada, para as bolsas. O conselho informou que já gastou 88% da verba disponível em 2019 para o pagamento de bolsas.

Segundo os dados do Portal do Orçamento levantados pelo G1, R$ 690.618.881 já havia sido pago até a primeira semana de agosto – o total previsto até dezembro é de R$ 784.787.619.

Durante discurso no evento, Pontes reafirmou o compromisso do Ministério da Economia, mas disse que estudava medidas caso a verba não fosse liberada. Disse ainda que não há previsão de um orçamento flexível para o próximo ano.

“O orçamento vai continuar apertado e para o ano que vem já estamos nos planejando com base em situações como essa, para que a gente não passe por isso”. Pontes não informou se há previsão orçamentária ou se há risco, por exemplo, de novas reduções no número de bolsas.

Sem novos contratos

O CNPq anunciou na tarde de quinta-feira (15) que suspendeu a assinatura de novos contratos de bolsas de estudo e pesquisa por causa do déficit do orçamento de 2019. Com a suspensão de novas bolsas, o CNPq espera concentrar o que ainda tem garantido no orçamento de 2019 para cumprir o compromisso com os pesquisadores que têm bolsa vigente.

O órgão informou que as bolsas já preenchidas e implementadas estão garantidas e que a suspensão é para bolsas destinadas via cotas às instituições que ainda não tinham sido preenchidas pela instituição.

As cotas são vagas de bolsas permanentes em cursos de pós-graduação de universidades brasileiras. Os orientadores dos cursos selecionam estudantes para seus programas de pesquisa e os indicam para receberem as bolsas. Em geral, quando um estudante conclui sua pesquisa e defende sua dissertação de mestrado ou tese de doutorado, o contrato de bolsa que ele tinha é encerrado e, em seguida, um novo estudante do programa pode assinar um novo contrato e passar a receber o valor mensal.

Como as bolsas exigem um vínculo de exclusividade, os estudantes não podem atuar em outros empregos remunerados e, por isso, o valor mensal pago por agências de fomento como o CNPq é a única fonte de renda deles.

Em julho, o CNPq mantinha 84 mil bolsistas, um número que flutua mês a mês, à medida que alguns contratos são encerrados e outros têm início. O CNPq procura manter, em média, 80 mil bolsistas. Porém, esse número deve começar a encolher a partir desta quinta, já que, pela decisão anunciada, nenhum novo contrato será assinado pelo conselho.

Fonte: G1

Grupos de pesquisas receberão R$30 milhões para desenvolver

Credenciamento será feito pela Embrapii com apoio do MEC O número de grupos de pesquisa de universidades federais credenciados pela Empresa

Governo do Estado prorroga suspensão das aulas e eventos na Bahia

O decreto n° 19.586, que determina a suspensão das aulas na rede estadual e a realização de eventos com mais de 50 pessoas em todo o

Enem 2020: balanço das inscrições aponta maioria de candidatos

Neste ano, 81% dos inscritos está nessa categoria Após a finalização das inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020,

Está disponível o resultado da seleção da Capes para formação

Cada programa beneficiará mais de 60 mil alunos de licenciatura O resultado da seleção para a formação de 60 mil professores, realizada pela

Flexibilização do ano letivo: MP é prorrogada pela Alcolumbre

O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) publicou ato no Diário Oficial da União (DOU) que prorroga por 60 dias a

Ano letivo não será cancelado, garantiu Governador da Bahia

Em conversa com imprensa do recôncavo baiano e região baixo sul, nesta quinta-feira, 28, o governador Rui Costa afirmou que o ano letivo dos

Há necessidade de recursos para educação alertam secretários

Consed manifesta preocupação com redução do gasto público Em nota técnica, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) alerta

Alimentação escolar: Agricultura Familiar é tema de seminário

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) foi tema do último dia do seminário virtual “Parceria mais forte, juntos para alimentar”,

Covid-19: MEC suspende pagamento de parcelas do Fies

Medida vale enquanto durar o estado de calamidade pública O Comitê Gestor do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) autorizou a suspensão das

Último dia para fazer as inscrições para o Enem é nesta quarta

MEC estendeu o prazo previsto no edital até o dia 27. Estudantes devem acessar a Página do Participante e tem até quinta (28) para pagar taxa O

Nossos Apoiadores: