O governo federal encaminhará, em breve, ao Congresso Nacional, uma proposta de mudança nas regras de financiamento do ensino básico. Hoje (9), ao apresentar as realizações do Ministério da Educação (MEC) em 2019, o ministro Abraham Weintraub disse que o governo não desistiu de ver aprovada sua própria proposta de aumento da contribuição da União para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

O debate sobre transformar o fundo, com previsão para ser extinto este ano, em permanente, e de elevar, gradualmente, o percentual de recursos repassados pela União, já ocorre na Câmara dos Deputados, onde uma comissão especial foi criada para discutir a PEC 15/2015, e também no Senado, onde tramita a PEC 33/2019. Além disso, o próprio ministro da Educação defende a proposta do governo.

“Ao longo deste ano [2019], tentamos colocar o novo Fundeb com propostas que acreditamos pertinentes. Infelizmente, não andou na direção e na velocidade que queríamos. Diante desse quadro, estamos encaminhando [ao Congresso] uma PEC [Proposta de Emenda Constitucional]”, disse Weintraub.

O governo federal discorda da minuta que a relatora do projeto que tramita em comissão especial na Câmara, deputada federal Professora Dorinha (DEM-TO), apresentou em setembro de 2019. No texto, a relatora propôs que o percentual da contribuição da União para o Fundeb passe dos atuais 10% para 15% em 2021, com acréscimos anuais de 2,5 pontos percentuais até chegar a 40% em 2031. Já o ministro Abraham Weintraub defende que o percentual dos recursos que a União repassa a estados e municípios aumente dos atuais 10% para 15%.

“É um aumento expressivo. Além de aumentar o volume de recursos, cobraremos resultados para receber esses recursos. Estados e municípios terão que adotar critérios de desempenho e mostrar resultados”, disse Weintraub.

Fundeb

Criado em 2006, para vigorar até 2020, o Fundeb é, hoje, a principal fonte de financiamento da educação básica, respondendo por mais de 60% do financiamento de todo ensino básico do país. Os recursos provém de impostos e transferências da União, estados e municípios.

Em 2019, só a União destinou R$ 14,3 bilhões aos estados. Dados da comissão especial criada pela Câmara dos Deputados para discutir a PEC 15/2015, apontam que, caso a proposta de ampliar a participação da União dos atuais 10% para 40% em 2031 seja aprovada, o impacto orçamentário da mudança será da ordem de R$ 279,8 bilhões.

Pisa

O ministro Weintraub disse que a meta da pasta é fazer com que o Brasil avance no ranking do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), índice que avalia o nível da educação básica no mundo.

“Esperamos tirar o Brasil da última posição na América do Sul e colocar ele, até 2030, na primeira posição. Sendo que esperamos já ter resultados no próximo Pisa. E este ano vão aparecer muito mais resultados. Vai aparecer rápido. Já no primeiro trimestre vai ter muito mais números mostrando melhoras”.

Em 2018, o Pisa foi aplicado para 600 mil estudantes de 79 países e regiões. O Brasil, onde cerca de 10,7 mil estudantes de 638 escolas fizeram as provas, obteve, em média, 413 pontos em leitura, 384 pontos em matemática e 404 pontos em ciências. Na avaliação anterior, aplicada em 2015, o Brasil obteve, 407 em leitura, 377 em matemática e 401 em ciências. Apesar da pequena melhora nas pontuações, o resultado revelou que apenas dois de cada 100 estudantes brasileiros atingiram os melhores desempenhos em, pelo menos, uma das disciplinas avaliadas. Além disso, o Brasil ficou abaixo das médias dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

"Vamos sair da última posição da América do Sul. O fundo do poço foi 2018", garantiu o ministro.

Fonte: Agência Brasil


Capes anuncia novas regras para bolsas de pós-graduação

Modelo leva em consideração desempenho acadêmico e IDHM Cursos de mestrado e doutorado poderão perder até 10% ou ganhar mais 30% do número

Estudantes da UESB vencem workshop internacional de tecnologia

O desperdício de alimentos em feiras livres é um problema social que pode ser resolvido com apenas um caixote de feira, uma placa de

Não passou no vestibular? Confira dicas para recuperar a motivação

Aprenda a ter ânimo para voltar a estudar e não desistir do seu sonho Não passar no vestibular é uma situação que não é tão simples de

Curso de Biomedicina está entre os mais concorridos da área de

Biomédicos focam em pesquisas sobre causadores de enfermidades e suas possíveis curas A Biomedicina é uma carreira que transita entre a Biologia

MEC busca alternativa para voltar a emitir carteira de estudante

O Ministério da Educação (MEC) informou nesta segunda (17) que busca alternativas para garantir aos estudantes a emissão gratuita de

Resultado da segunda chamada do ProUni já está disponível

Estudantes têm até o dia 28 para apresentar documentação O Ministério da Educação divulgou hoje (18) o resultado da segunda chamada do

MEC não pode emitir carteira estudantil a partir desta segunda-feira

IDs terão validade até a data de expiração O Ministério da Educação (MEC) não está emitindo novas identidades estudantis (IDs) – as

Matrícula na educação infantil cresceu 12,6% nos últimos cinco

O crescimento foi impulsionado pelas matrículas em creches O número de matrículas na educação infantil aumentou em 12,6% nos últimos cinco

Praticar atividade física com vídeos da internet pode causar graves

Vídeos que circulam pela internet são alternativas “fáceis” e baratas Cada dia mais comum no ambiente virtual, aplicativos, blogs e vídeos

Saiba quais são os fenômenos astronômicos previstos para 2020

Calendário prevê eclipses solares, lunares e chuvas de meteoros Os fenômenos astronômicos previstos para 2020 vão além da Superlua deste

Nossos Apoiadores: