Decreto regulamenta Lei de Tecnologias da Informação e Comunicação

O governo federal publicou o Decreto 10.602, que regulamenta a Lei de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), novo nome da antiga Lei de Informática (Nº 13.969 de 2019) e detalha as regras de uso de incentivos fiscais para atividades de pesquisa e desenvolvimento em Ciência e Tecnologia.

A Lei de TICs, aprovada em dezembro de 2019, fixou novas regras para o uso de determinados recursos no estudo e elaboração de novas soluções técnicas. Contudo, ao longo do ano houve questionamentos acerca de dúvidas por parte das empresas do setor na sua implantação.

Por isso, o objetivo do Decreto foi detalhar as diretrizes e regras previstas na lei de modo a evitar interpretações dúbias e deixar claro às empresas da área quem pode fazer uso dos benefícios e quais são os requisitos para essas atividades.

“O decreto foi feito sob demanda do setor produtivo em especial para reduzir as inseguranças jurídicas. A norma traz um maior detalhamento do que é coberto e como é coberto pela lei, inclusive na questão sobre os cálculos tributários. Trazemos também uma maior possibilidade de utilização da lei das TICs que vai trazer maior investimento em ciência e tecnologia”, explica o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Marcos Pontes.

Segundo o secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTI, Paulo Alvim, o decreto deixou mais claro quem pode e quem não tem direito aos mecanismos da lei. Ficam de fora empresas que não trabalham com hardware.

“O decreto qualificou quem era. Havia entendimento de que poderia ter incorporação de atores que depois seriam glosados. Isso cria risco de judicialização. A Lei de TICs não inclui o setor de software. Ali ficou claro. Estamos falando de produtos de informática, produtos de TIC”, comenta Alvim.

Outra previsão clareada pela norma, acrescenta o secretário, foram as possibilidades de uso dos recursos de renúncia fiscal. Uma das alternativas é para atividades de capacitação, uma forte demanda do setor produtivo.

Lei de TICs

A Lei de TICs foi o novo nome dado à Lei de Informática. A nova versão foi aprovada pelo Congresso em dezembro de 2019 e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 27 daquele mês.

O novo texto foi construído e votado por Câmara e Senado para se adequar a exigências da Organização Mundial do Comércio (OMC) diante de questionamentos feitos por alguns países, como pelo bloco da União Europeia e pelo Japão.

O texto prevê que as empresas de tecnologia da informação que investirem em pesquisa, desenvolvimento e inovação farão jus, até 2029, a incentivos fiscais sobre a receita líquida decorrente da venda dos bens e serviços, desde que os projetos tenham sido aprovados pelos ministérios da Economia e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Fonte: Agência Brasil

Universidades federais têm até dezembro para adotar diploma digital

Prazo de emissão do documento deve cair de 90 para 15 dias As 69 universidades federais e as 41 instituições da rede federal de educação

MEC: 30 mil vagas em cursos para professores da área do esporte

Serão mais de 120 horas de aulas online gratuitas O Ministério da Educação oferece, a partir deste mês, 30 mil vagas em curso para

‘Sinto-me sempre aluno’, diz Leandro Karnal sobre a influência

Intelectual conversou com Educa Mais Brasil sobre estudos e carreira Para que mudanças no campo de realizações pessoais e profissionais

Harvard disponibiliza bolsas de estudo para pesquisas sobre temas

Os candidatos selecionados receberão uma bolsa de US$ 30.000 – 163.185,00 em reais Jornalistas, políticos e acadêmicos que possuem pesquisas

Curso gratuito para ensino virtual recebe inscrições até amanhã

São oferecidas 50 mil vagas para professores da Educação Básica e alunos de licenciatura Professores da Educação Básica e alunos de

Reaplicação do Enem tem mais de 70% de abstenção

Gabaritos das provas estarão disponíveis na segunda-feira O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) registrou, no primeiro dia de

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Secretário da Educação apresenta planejamento de retorno às aulas

As aulas da rede estadual da Bahia vão ter, enfim, o início no próximo dia 15 de março. Os detalhes do planejamento para o ano letivo 2020/2021

Tema da redação do Enem foi a falta de empatia nas relações

Opinião do autor deve estar fundamentada com explicações e argumentos A falta de empatia nas relações sociais no Brasil é o tema da

Prouni: prazo de matrícula para aprovados na 2ª chamada encerra

Falta de comprovação dos documentos é motivo de cancelamento do benefício Candidatos pré-selecionados na segunda chamada do Programa

Nossos Apoiadores: