Toshiro Muto afirmou que jogos serão bem diferentes, algo jamais visto. Evento acontece entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021 na cidade de Tóquio

Dois meses após o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o Comitê Organizador segue preocupado com a pandemia da covid-19. A entidade ainda não sabe quanto vai custar o adiamento de um ano e como será realizada a Olimpíada sob novas condições, seguindo as orientações de distanciamento social. Para o Comitê, será uma edição dos Jogos nada "convencional".

"A Olimpíada que teremos daqui a um ano não deve ser uma edição convencional, não será como algo que já vimos", afirmou Toshiro Muto, CEO do Comitê Organizador, nesta sexta-feira. Ele evitou entrar em detalhes sobre como seria realizada esta edição caso a pandemia prossiga com muitos casos até 2021. Os Jogos serão disputados entre 23 de julho e 8 de agosto.

Se a exigência de distanciamento social foi mantida até a Olimpíada, o que alguns estudos já preveem, o Comitê poderá repensar diversos fatores para a realização dos Jogos. Um deles, por exemplo, pode ser a Vila Olímpica. O local deve receber 11 mil atletas olímpicos e 4.400 paralímpicos em apartamentos pequenos.

A aglomeração natural nas residências provisórias dos atletas pode ser um risco de contaminação, assim como a própria viagem de deslocamento até Tóquio. Há dúvidas também sobre a presença de torcida nas competições.

Com diversos questionamentos pela frente, o Comitê ainda reúne as informações para tomar suas decisões. E uma delas será sobre como vai gastar os US$ 800 milhões (cerca de R$ 4.7 bilhões) que o Comitê Olímpico Internacional (COI) vai fornecer à entidade local como forma de compensação pelo adiamento dos Jogos. Deste valor, US$ 150 milhões serão destinados a comitês nacionais e federações.

De acordo com estimativas da imprensa japonesa, os custos extras do adiamento da Olimpíada oscilam entre US$ 2 bilhões e US$ 6 bilhões (R$ 35 bilhões). Por isso, a ordem geral no Comitê Organizador é cortar custos. "Estamos procurando (espaço para corte) em cada área possível. É o momento de revermos o que realmente é essencial para os Jogos. Quais são os itens obrigatórios? Acho que vamos criar uma nova Olimpíada e Paralimpíada, algo único para Tóquio", disse Muto.

Quando conquistou o direito de sediar os Jogos, há sete anos, os dirigentes japoneses avaliavam que a Olimpíada custaria cerca de US$ 7 bilhões (R$ 41 bilhões). Agora a previsão é de desembolsar US$ 12,6 bilhões. Porém, um relatório de auditoria do governo aponta que o gasto pode chegar ao dobro. Deste valor, US$ 5,6 bilhões é dinheiro público.

Fonte: Estadão Conteúdo


Covid-19: grupo McLaren planeja demitir 1.200 funcionários

Desligamento atingirá cerca de 25% do total de trabalhadores Doze dias após perder o piloto de Fórmula 1 Carlos Sainz para a Ferrari que o

Basquete: Fiba propõe ações para retomada das ligas nacionais

Para federação, testes e orientações devem ser prioridades Uma série de orientações a serem seguidas para a retomada das ligas nacionais de

Vôlei: Fofão é eleita 3ª melhor estrangeira da Champions League

Ex-jogadora brasileira conquistou ouro olímpico Campeã nos Jogos de Pequim (2008) e bronze nos de Atlanta (1996) e Sydney (2000), a levantadora

Ex-técnico de Bahia e Vitória, Vadão morre aos 63 anos

Treinador lutava contra um câncer no fígado Técnico com passagens por Bahia, Vitória e seleção brasileira feminina, Oswaldo Fumeiro Alvarez,

Presidente do UFC planeja eventos em misteriosa 'Ilha da Luta'

Dana White diz que vai levar octógono para 'praia', em junho e julho Sem uma data prevista para liberação de eventos esportivos em Las Vegas,

Com gol de brasileiro, Hertha goleia no Campeonato Alemão

Jovem atacante Matheus Cunha joga bem e marca Enquanto na maior parte do mundo o futebol continua parado por conta da pandemia do novo

Disney surge como sede favorita para possível retorno da NBA

O complexo da Disney World em Orlando, na Flórida, está se tornando o local favorito para sediar um possível retorno da NBA em meio à pandemia

Ginasta brasileira aposta em sua classificação para Tóquio

Jade Barbosa passou por cirurgia no joelho há apenas cinco meses Aos 28 anos, a carioca Jade Barbosa - que se recupera de uma cirurgia - está

Skate: período de classificação para Jogos de Tóquio é ampliado

O adiamento dos Jogos de Tóquio para julho de 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19) levou a World Skate, federação

CBF estuda retorno do futebol brasileiro para o final de junho

Com alguns campeonatos já retornando ao redor do mundo, o futebol brasileiro começa aos poucos esboçar uma reação para a sua própria

Nossos Apoiadores: