Esportes

Brasil faz 3 a 1 na Costa do Marfim e se classifica para as oitavas

Foi uma vitória para restabelecer a paz entre a seleção brasileira e a torcida, que na arquibancada do Soccer City gritou "olé" e "o campeão voltou" para o placar de 3 a 1 sobre a Costa do Marfim neste domingo, em Joanesburgo. E foi também uma vitória que testou os nervos de aço de alguns jogadores, já que os africanos apelaram para faltas duras depois de levarem três gols até os 17 minutos do segundo tempo. Kaká não passou nesse teste e foi expulso.

Os gols marcados por Luis Fabiano (duas vezes) e Elano fazem do Brasil o segundo país classificado para as oitavas de final da Copa do Mundo, depois da Holanda, e o terceiro a conseguir 100% de aproveitamento, junto com holandeses e argentinos. A primeira colocação do Grupo G pode ficar garantida já nesta segunda-feira, em caso de empate entre Portugal e Coreia do Norte, que se enfrentam às 8h30m. O Brasil, que foi a seis pontos, enfrenta na última rodada os portugueses, que por enquanto têm um. Os africanos, que ficaram estacionados em um ponto, encaram os coreanos (que têm zero). Os dois jogos serão realizados ao mesmo tempo, às 11h de sexta-feira.

Se contra a Coreia do Norte o Brasil demorou a criar um lance de perigo, no jogo deste domingo ele surgiu com menos de um minuto. Robinho puxou contra-ataque, após tabela com Kaká, e arriscou de longe - sem tanto perigo - em vez de tentar o passe para Luis Fabiano, mais bem colocado pela esquerda. O que parecia um bom sinal, entretanto, transformou-se em exceção nos primeiros 20 minutos.

Foi da Costa do Marfim a iniciativa do jogo. Ela não mostrou a mesma retranca do empate por 0 a 0 com Portugal e foi além: avançou a marcação para combater a saída de bola da seleção e dominou o meio-campo. Kaká foi desarmado duas vezes logo no começo, e os brasileiros, que davam a impressão de estarem perdidos, cometeram seis faltas em 14 minutos.

Com dificuldade para dominar a bola e tocá-la no meio-campo, a seleção recorreu a um corta-luz para conseguir sua primeira jogada bem trabalhada na partida, somente aos 19 minutos. Elano abriu as pernas e deixou a bola passar na direção de Maicon, que errou no cruzamento. Se não levou perigo, o lance ao menos serviu para deixar a seleção um pouco mais à vontade no jogo.

Seis minutos depois, veio o gol de Luis Fabiano. A jogada teve início com Robinho mais recuado e teve sequência com um calcanhar nem tão certeiro de Luis Fabiano e um bom passe de Kaká. O atacante tomou a frente de seu marcador e, na cara do goleiro, soltou a bomba: 1 a 0. Na comemoração, fez o número 6 com as mãos - uma homenagem ao aniversário da filha e, coincidentemente, o número de partidas que passou em branco. Havia marcado pela última vez contra a Argentina, em setembro do ano passado.

O gol não pôs o Brasil no caminho do bom futebol. Os erros de passe continuaram acontecendo, somados a falhas bobas no domínio de bola. O nervosismo do time parecia contagiar Dunga, que reclamou da arbitragem e passou o primeiro tempo brigando com o microfone próximo à área técnica, até arrancá-lo do gramado e colocá-lo atrás do banco.

A seleção não conseguiu criar lances de perigo, concluindo apenas uma vez no gol, mas por outro lado mostrou solidez defensiva, com boas atuações de Lúcio e dos volantes Gilberto Silva e Felipe Melo. Com isso, a Costa do Marfim obrigou Julio Cesar a fazer apenas uma defesa em 45 minutos, num chute forte de Yaya Touré.

A segunda etapa começou com forte marcação da Costa do Marfim e o Brasil recorrendo a uma jogada individual para fazer 2 a 0. Com uma ajudinha da arbitragem, é verdade. Luis Fabiano dominou a bola duas vezes no braço, e entre elas deu dois balões em adversários, chutando para a rede. Enquanto voltava para o seu campo, uma cena curiosa: foi abordado pelo árbitro francês Stephane Lannoy, que, sorrindo, quis saber se ele dominara com o peito ou com o braço. Luis Fabiano não teve dúvida: sério, apontou para o peito. E ouviu seu nome ecoar no Soccer City.

Com exceção de uma cabeçada perigosa de Drogba, a defesa continuava sem grandes sustos. E no ataque o time já encontrava espaços para tocar a bola. Kaká deu um chute perigoso, após passe de Robinho. E no minuto seguinte, aos 17, o meia fez boa jogada pela ponta esquerda, cruzando rasteiro para a conclusão de Elano: 3 a 0.

Nervosos com os 3 a 0 da seleção brasileira, os marfinenses começaram a abusar das faltas. Além da entrada dura de Tioté em Elano, que saiu carregado de campo, aos 30 minutos, Keita fez falta violenta em Michel Bastos e levou o cartão amarelo. Até mesmo quando sofriam falta, a reação era um braço aqui, outro ali.

Como aconteceu com Kaká e Yaya Touré. O meia brasileira entrou forte no jogador da Costa do Marfim, mas ficou irritado com a mão na nuca que recebeu. Entregue em campo, o time africano ainda conseguiu arrumar espaço para diminuir. Aos 33 minutos, Drogba recebeu ótimo lançamento de Yaya Touré e marcou de cabeça.

Soberano na defesa, o Brasil não se assustou com o gol marfinense e continuou tocando a bola com tranquilidade. Detalhe negativo apenas que esse foi o primeiro gol que a seleção brasileira sofreu de uma equipe africana em Copas do Mundo. Nos outros cinco confrontos que existiram, um triunfo por 1 a 0 e quatro por 3 a 0.

Aos 39 minutos, Kaká deu um empurrão em Keita, com o jogo parado, e foi punido com o cartão amarelo. Por outro lado, o juiz mantinha uma postura tranquila diante das força excessiva dos africanos. Sobrou, então, para o Brasil. Aos 42 minutos, Keita caminhou em direção a Kaká, que deixou o corpo duro e se protegeu.

O braço do camisa 10 do Brasil chegou realmente a pegar no peito do marfinense, mas não com violência. Só que Keita caiu no gramado e colocou a mão no rosto. O árbitro, então, entendeu que Kaká merecia mais um amarelo. Aplicou e em seguida o expulsou de campo, para irritação do técnico Dunga. Agora, Kaká está fora da partida da próxima sexta-feira, contra Portugal, em Durban. Pelo menos o Brasil já está classificado às oitavas de final.

 

Vem aí a copa sincomercio de futsal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com dificuldades, Brasil derrota Coreia do Norte na estreia do Mundial da África Maicon marca e acaba com jejum de laterais que jogam pela direita

Esperava-se mais, uma goleada até. Não foi tão fácil assim, mas o Brasil venceu a Coreia do Norte na sua estreia da Copa do Mundo da África do Sul, nesta terça-feira (15), no estádio Ellis Park, em Joanesburgo. Com o resultado, a seleção canarinho assumiu a ponta do Grupo G, seguida por Costa do Marfim e Portugam, que empataram em 1 a 1 na abertura da chave. Enquanto isso, os asiáticos seguram a lanterna da chave.

O lateral direito Maicon abriu o placar com um belo gol e acabou com o jejum de jogadores da posição, que não marcavam em Copas desde 1986. Elano ampliou e Ji Yun-Nam diminuiu no final. Agora, os comandados de Dunga já se voltam para próxima partida, no domingo que vem, às 15h30 (de Brasília). O adversário é a Costa do Marfim, em Joanesburgo. Já os norte-coreanos encaram os portugueses na segunda-feira (21), às 8h30, na Cidade do Cabo.


Cara de 0 a 0 mesmo


O panorama do primeiro tempo foi completamente favorável ao Brasil no quesito posse de bola, mas não passou daí. É que os jogadores brasileiros esbarravam na forte marcação do time norte-coreano, que parecia contar com um ferrolho defensivo. Robinho e Maicon arranjaram os melhores lances do time de Dunga.


Aos 6 minutos, Robinho arriscou de longe, mas a bola passou à esquerda do goleiro Ri Myong-Guk. Três minutos depois, foi a vez de Michel Bastos tentar de fora da área. A bola fez uma curva e foi para fora. A Coreia do Norte respondeu aos 10. Jong Tae-Se chutou da entrada da área, mas o tiro saiu fraco e Julio Cesar segurou com facilidade.


Robinho voltava ao meio de campo para buscar a bola e, em uma das jogadas, enfiou para Luis Fabiano girar dentro da área e chutar, aos 20. Esperto, o goleiro Ri Myong-Guk fez a defesa. Aos 26, Maicon recebey passe de Felipe Melo e mandou um canudo, que acabou defendido pelo goleiro asiático.


Brasil cresce e tira o zero do placar


A seleção brasileira voltou diferente para etapa final. Mais ofensiva e ousada, mesmo sem alterações durante o intervalo. Logo aos 5 minutos, Michel Bastos cobrou falta da entrada da área, com força. A bola passa à direita de Ri Myong-Guk, levando perigo.


Aos 7, Robinho arriscou da entrada de fora da área e a bola passou à direita de Ri Myong-Guk, mas o gol estava perto de sair. Maicon recebeu passe em profundidade e entrou na área. Já sem ângulo, chutou cruzado, marcando um golaço. A bola passou entre a trave e o goleiro. Era o primeiro tento brasileiro neste Mundial.


Elano ampliaria o marcador aos 26. Após receber enfiada de Robinho, o meio-campo tocou na saída do goleiro norte-coreano. Brasil 2 a 0. O técnico Dunga ousou e colocou o time pra frente. Daniel Alves entrou no lugar de Elano, Nilmar substituiu Kaká e Felipe Melo saiu para entrada de Ramires.


A ideia era aumentar o saldo de gols, mas o Brasil acabou sofrendo um. Aos 43, Ji Yun-Nam recebeu lançamento em profundidade, invadiu a área, limpou dois zagueiros brasileiros e chutou forte, sem chance para Julio Cesar. E ficou nisso: Brasil 2 x 1 Coreia do Norte.

 

 

 

 

 

 

 

 

por Hailton Andrade

 

 

A estréia que emocionou o mundo

Com a presença de estrelas mundialmente conhecidas, como a colombiana Shakira, a norte-americana Alicia Keys e o grupo Black Eyes Peas, a festa de abertura da Copa do Mundo, realizada nesta quinta-feira (10), em Johannesburgo, foi uma celebração da África e da alegria de seu povo por receber a maior competição do futebol mundial.


A cerimônia teve um tom patriótico. O momento mais emocionante foi a homenagem ao ex-presidente Nelson Mandela, o principal líder da luta contra o apartheid. Com saúde frágil, ele não compareceu, mas ganhou elogios do bispo Desmond Tutu, vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1984 e outra estrela do combate ao racismo.


Com a camisa dos Bafana Bafana (a seleção sul-africana), ele pediu uma ovação para Mandiba - o apelido de Mandela. Brancos e negros berraram: "Viva Mandiba". Nelson Mandela é esperado para estar no jogo desta sexta-feira (11), entre África do Sul e México, que abre a Copa do Mundo. A partida será no Soccer City, em Johannesburgo.


A festa teve o marco de ser realizada no Orlando Stadium, no meio de Soweto - berço da luta contra o apartheid. Joseph Blatter, presidente da Fifa, lembrou disso ao fazer seu discurso no começo do evento.


- A Fifa está muito feliz de estar com a Copa na África do Sul. E está muito feliz de estar em Soweto.


Os espectadores receberam bandeiras da África do Sul e serviram de figurantes para a bela festa. Quando o Black Eyes Peas começou a cantar
I´ve Got a Feeling, seu principal hit, a multidão - de mais de 30 mil pessoas - explodiu. O líder da banda, Will.I.Am, apareceu depois com a bandeira brasileira ao lado do cantor africano K’Naan em Waving Flags, uma das músicas oficiais da Copa.

Após a apresentação de Shakira, o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, e o chefe do comitê organizador, o sul-africano Danny Jordaan, deram as boas vindas aos torcedores e apresentaram a taça da Copa do Mundo, carregada pelo francês Patrick Vieira, um dos jogadores campeões do mundo em 1998.


Em seguida, uma apresentação com dezenas de artistas cantando
Playing For a Change, acompanhados de garotos e garotas fazendo embaixadinhas, encerrou o espetáculo. Show, agora, só com a bola rolando, em 64 jogos, a começar por África do Sul e México, que começa às 11h (de Brasília).

População Teixerense aprova Proposta do SINCOMERCIO em fechar lojas nos horários de jogos da Copa

A população teixerense aprovou por unanimidade em uma Enquete Popular, que foi ao "ar"nesta terça feira (08), no  Jornal da Liberdade ao meio dia na Rádio Liberdade Fm.

A enquete foi elaborada, pelo Presidente do SINCOMERCIO, Flávio Guimarães no sentido de saber a vontade soberana do Povo, a saber  se a População é a favor ou contra o horário especial de funcionamento do comércio de Teixeira de Freitas nos jogos da seleção brasileira.

Como se sabe, Copa do Mundo mexe com a rotina dos brasileiros. Existe aquela famosa frase, "... Durante a Copa até quem não gosta de futebol, assiste..". Seguindo a tradição de anos anteriores, o Sincomercio fez uma proposta ao Sindec para uma negociação quanto a um horário especial de funcionamento do comércio de Teixeira de Freitas nos jogos da seleção brasileira. Flávio Guimarães, presidente do Sincomércio, ressalta que a proposta é a seguinte: Nos dias em que a seleção brasileira entrar em campo às 15:30 hs, o comércio varejista e Atacadista vai fechar às 15 hs e retornar ao trabalho só no dia seguinte. Fica facultativo apenas às empresas alimentícias, como supermercados, retornar ao trabalho no mesmo dia dos jogos. Já nos dias em que a seleção brasileira jogar às 11 hs, fica facultativo o comércio fechar das 10:45 às 13:15 hs. A abertura Oficial da Copa do Mundo acontecerá no dia 10 de junho, às 16 hs e os jogos serão realizados entre os dias 11 de junho a 11 de julho. Na primeira fase o Brasil participará de três jogos, sendo esses no dia 15 de junho, às 15:30 contra a Coréia do Norte; dia 20 de junho, às 15:30 enfrentando a seleção da Costa do Marfim e no dia 25 de junho, às 11 hs, será a vez do Brasil jogar com Portugal. As horas não trabalhadas durante os jogos do Brasil na copa ficaria de credito para serem usadas em datas especiais de vendas do comércio, como: Natal, dia das mães, dia dos namorados e outras.

O objetivo do SINCOMERCIO, é de  que as duas partes possam ser beneficiadas em um só momento, para que haja harmonia entre funcionários e comerciantes consolidando esta parceria única, "completou".

 

 

Redação do Liberdadenews.com.br


Anuncie Aqui!

(73) 9972-7955 || (73) 3013-6687
liberdadenews@hotmail.com
Copyright © 2017 LiberdadeNews - A Força da Notícia. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0