Os coletores menstruais vieram para conquistar muitas adeptas. Já refletiu sobre as vantagens desse novo aliado do público feminino? Vamos relatar aqui quais são os principais benefícios nessa opção e alguns incômodos que fazem algumas mulheres descartarem o uso do coletor e preferir os absorventes convencionais. E para a saúde ginecológica da mulher, o coletor é a melhor alternativa? Confira:

Economia

Entre as vantagens encontradas no uso dos coletores menstruais a economia merece destaque. Para adquirir o produto vai precisar gastar cerca de R$80, parece um investimento alto, mas com absorventes convencionais a mulher costuma gastar muito mais. O coletor tem vida útil de até dez anos. Já parou para pensar, ou melhor, somar quanto gastou em absorvente nos últimos dez anos?

Consciência ambiental

Imagina quantos absorventes são descartados no lixo comum diariamente? Usar o coletor ajuda a diminuir a produção de lixo no planeta, uma vez que vai reutilizar o produto e somente descartar o fluxo sanguíneo.

É mais saudável!

Para as mulheres que ainda tinham dúvida na questão da saúde e higiene, especialistas consultados pelo portal Trocando Fraldas afirmam que o coletor menstrual é saudável e traz mais benefícios para a higiene íntima feminina. O copo é introduzido internamente, o que ajuda a combater a proliferação de bactérias presentes na umidade dos absorventes comuns.

Mais segurança e conforto no dia a dia

Algumas mulheres afirmam que o coletor é tão confortável, que até esquece que está menstruada. O uso dos absorventes aumenta as chances de vazamento, além do desconforto nos dias mais quentes. As mulheres que possuem um sangramento mais intenso e que precisavam trocar frequentemente o absorvente, com o uso do coletor pode ficar mais tempo e se sentir mais segura ao decorrer do dia. É importante ficar atenta a quantidade de fluxo, esvaziar sempre que necessário e não ultrapassar as 12 horas máximas de uso.

Desvantagens

Embora o uso do coletor menstrual apresente uma série de benefícios, nem todas as mulheres conseguem se adaptar ao produto. A inserção e a retirada do coletor, assim como o posicionamento adequado para evitar o vazamento, são as principais dificuldades.

Ao manter a musculatura vaginal rígida, especialistas explicam que dificulta a abertura do copo. A retirada também pode ser um problema, pois existe o vácuo, sendo assim o ideal é remover o ar e só depois retirar o coletor.

As cólicas também podem surgir para algumas mulheres, mas não costuma ser frequente. A dor abdominal sinaliza o posicionamento incorreto do coletor. Ao realizar a dobra para introduzir o coletor e não certificar que foi aberto no canal da vagina pode ocorrer os vazamentos. Esses empecilhos faz com que muitas mulheres ainda prefiram os absorventes tradicionais.

Leia em Saúde – O que acontece com o corpo da gestante durante a gravidez

Por: Daiana Barasa

Alcobaça realizou maior ação de saúde da história do município

Alcobaça: Cerca de mil pessoas foram atendidas por diversos médicos especialistas, no segundo Mutirão da Cidadania, uma ação realizada por

Prefeitura de Teixeira de Freitas repassa incentivo aos Agentes

Teixeira de Freitas: Nesta sexta-feira, dia 20 de abril, a Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas, através da Secretaria Municipal de Saúde,

Caps II realiza comemoração em alusão do Dia Mundial da Saúde em

Teixeira de Freitas: Na manhã desta quarta-feira, dia 18 de abril, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), realizou um evento em alusão ao Dia

Alcobaça vai dar início à campanha de vacinação contra a gripe

Alcobaça: Os dias estão ficando cada vez mais frios. É a proximidade do inverno, estação do ano quando aumentam os casos de gripe e febre,

Os diferentes tipos de vírus da gripe que circulam pelo Brasil

Este ano, até 7 de abril, o Brasil contabilizou 286 casos de influenza, comumente conhecida como gripe. Desse total, 117 casos e 16 óbitos foram

BA registra aumento de 50,6% em ataques de escorpiões

O número de acidentes com escorpiões na Bahia subiu 50,6% em dois anos. Ao todo, de 2015 a 2017 as notificações saíram de 10.136 para 15.265.

Idoso de 61 anos morre com gripe H1N1 em Serrinha

Um idoso de 61 anos morreu com a gripe H1N1 na cidade de Serrinha, a cerca de 175 km de Salvador. De acordo com Edy Gomes, coorndenador do

Bahia tem 4 mortes por H1N1; campanha de vacinação começa dia 23

Bahia teve quatro mortes provocadas pela gripe H1N1, até o dia 7 de abril, conforme dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Estado

Vacina feita no Brasil eliminou câncer de pele em cobaias, diz

Pesquisadores brasileiros desenvolveram uma vacina contra o câncer e obtiveram bons resultados nos testes realizados em camundongos. O resultado

Prefeito de Alcobaça se reuniu com a equipe de saúde do Caxangá

Alcobaça: O objetivo, segundo o Prefeito Léo Brito, foi ouvir as demandas destes profissionais, ao tempo em que mantém uma sintonia com as

Nossos Apoiadores: