DJ dia das mães

As criptomoedas, que hoje estão na carteira de muitos investidores, não poderão constar no portfólio dos fundos de investimento, conforme entendimento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A autarquia esclareceu nesta sexta-feira, 12, ao mercado consultas feitas sobre a possibilidade dos fundos regulados pela instrução 555 – que regula fundos abertos – poderem ou não ter esse ativo.

“No Brasil e em outras jurisdições tem se debatido a natureza jurídica e econômica dessas modalidades de investimento e não se chegou a nenhuma conclusão, em especial no mercado e regulação domésticos”, destaca em ofício o superintendente da Superintendência de Relações com Investidores Institucionais (SIN) da CVM, Daniel Maeda.

O documento diz ainda que há muita indefinição e que a interpretação da área técnica foi de que as criptomoedas, assim, não podem ser classificadas como ativos financeiros e, dessa forma, sua aquisição não pode ser permitida pelos fundos de investimento regulados.

A Superintendência diz que tem chegado à CVM consultas sobre a possibilidade de criação de fundos específicos para investimento em criptomoedas, mas que as discussões hoje existentes sobre esses investimentos, “seja diretamente pelos fundos ou de outras formas”, são incipientes, sendo que há um projeto de lei (2.303/2015) “que pode vir a impedir, restringir ou mesmo criminalizar a negociação de tais modalidades de investimento”.

A CVM frisa que há muitos riscos associados a sua natureza, como ordem de segurança cibernética e particulares de custódia, ou até mesmo relacionados à legalidade futura de sua aquisição ou negociação.

“Dessa forma, esta Superintendência informa que todas essas variáveis vêm sendo levadas em consideração na avaliação da possibilidade de constituição e estruturação do investimento indireto em criptomoedas, sem que se tenha chegado, ainda, a uma conclusão a respeito dessa possibilidade”, destaca a autarquia.

Por fim, a CVM pede aos gestores que aguardem manifestação posterior e conclusiva sobre esse tema para que possa ser estruturado investimento indireto em criptomoedas ou outras formas alternativas dessa natureza de exposição a risco.

Fonte: Estadão

Treze partidos devem R$ 32 milhões de eleições passada

Com menos recursos para uma nova campanha eleitoral, 13 dos 35 partidos políticos ainda têm de desembolsar recursos para pagar dívidas de

Preço da gasolina reduz 3 centavos após subsídios do governo

Os planos do governo para reduzir o preço do diesel nos postos, após a greve dos caminhoneiros, parece não fazer efeito sobre o preço de outro

Japonês da Federal diz que ‘Lula foi preso por uma besteira'

Em entrevista para divulgar o lançamento de sua biografia, Newton Ishii, o famoso “japonês da Polícia Federal (PF)”, declarou que o

Bolsonaro se compara a Trump ao negar aliança com partidos

O pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) voltou a afirmar que não irá partir em busca de partidos para aumentar seu

Vereadores vão à Justiça contra EMBASA e Estado por descumprimento

Teixeira de Freitas: Os vereadores Wildemberg Soares Guerra, o “Sargento Berg” (PSDB); Jonathan de Oliveira Molar (SD); Marcos Gusmão Pontes

Bahia tem 5 cidades com mais eleitores do que habitantes

Um levantamento divulgado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) aponta que cinco cidades da Bahia possuem mais eleitores do que

STF envia inquérito contra Carletto para Justiça de Eunápolis

O Supremo Tribunal Federal (STF) remeteu um inquérito contra o deputado estadual Ronaldo Carletto (PP) para a primeira instância da Justiça

Câmara aprova criação do Ministério da Segurança pública

O Plenário da Câmara Deputados aprovou nesta quarta-feira (13) a Medida Provisória que cria o Ministério da Segurança Pública. Da forma como

Prefeito cancela festa de aniversário após estragos da chuva

Por conta das chuvas que caíram em Itabela, na Costa do Descobrimento, sul baiano, o prefeito da cidade cancelou a festa de aniversário do

Segunda turma do STF vai julgar ação penal de Gleisi Hoffmann

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar na próxima terça-feira (19) uma ação penal da Operação Lava Jato que mira a

Nossos Apoiadores: