O candidato Geraldo Alckmin (PSDB) participou de uma sabatina dos jornais "O Globo", "Valor Econômico" e da revista "Época"

Reprodução/Facebook

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, disse nesta quinta-feira (13) que seu partido não tem "nada a ver" com o governo Michel Temer. Ele ainda classificou a gestão de Temer à frente do país de "muito ruim".

Alckmin participou, no Rio de Janeiro, de uma sabatina organizada pelos jornais "O Globo", "Valor Econômico" e pela revista "Época".

O PSDB foi um dos partidos que, em 2016, apoiaram o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). A sigla também fez parte da equipe ministerial de Temer. No final de 2017, o partido oficializou a saída do governo.

Atualmente, um ministro é do PSDB, Aloysio Nunes, das Relações Exteriores, que preferiu se manter no cargo mesmo após o rompiemnto do partido com o Palácio do Planalto.

"[Aloysio Nunes] Está lá em caráter pessoal. O PSDB não tem nada a ver com esse governo", afirmou Alckmin na sabatina.

Ele disse ainda que sempre foi contra a participação do partido na gestão Temer.

"No PSDB, eu fui contra entrar no governo. Totalmente contra. O que eu defendia na época: devemos aprovar as medidas de interesse do país. Não precisamos ter ministério para isso", completou o candidato.

Em outros momentos da campanha eleitoral Alckmin já fez críticas ao governo Temer. O empenho do candidato em descolar a imagem de seu partido da atual gestão do Palácio do Planalto gerou reação por parte de Temer. O presidente gravou vídeos para ressaltar que o PSDB fez parte do governo.

Operação contra políticos do PSDB

Alckmin foi questioando sobre operações policiais nesta semana que tiveram como alvos políticos do PSDB.

No primeiro caso, na terça-feira (11), uma operação do Ministério Público do Paraná prendeu o ex-governador e candidato ao Senado Beto Richa. No mesmo dia, ele foi alvo de buscas da Lava Jato. Na quarta (12), uma operação da Polícia Federal fez buscas e apreensões na casa do governador Reinaldo Azambuja, do Mato Grosso do Sul.

"O que todos queremos e a sociedade quer é que se investigue, se apure, se puna os cuplados e se absolva os inocentes. Isso vale para todo mundo. Cabe a eles se explicar. Vida pública é pública. As instituições devem funcionar", afirmou Alckmin.

O candidato disse ainda que todos os partidos têm problemas e que, se não for feita uma reforma política, continuará havendo casos de corrupção.

"Todos os partidos estão fragilizados, inclusive o meu. Quando você tem 35 partidos, se não fizer reforma política, vai ter Lava Jato no futuro. O sistema está exaurido", completou.


Após denúncia sobre ar-condicionado quebrados no SAC/Teixeira, SAEB

Teixeira de Freitas: Após matéria publicada no Liberdade News denunciando a alta temperatura no SAC por conta do ar-condicionado que está

Declaração do IR deve ser entregue a partir do dia 7 de março

A Declaração de Imposto da Pessoa Física deve ser entregue entre 7 de março e 30 de abril de 2019, pela internet. As regras para a entrega da

Criminalização da homofobia: Julgamento é suspenso no STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), leu nesta quinta-feira, 21, o quarto voto favorável à equiparação da

Vereda: Prefeito reeleito tem contas de 2017 rejeitadas

Vereda: O prefeito de Vereda, no extremo sul, Dinoel Souza Carvalho, teve as contas rejeitadas referente ao ano de 2017. A punição foi

Clientes desmaiam no SAC/Teixeira por conta do calor: Ar-condicionado

Teixeira de Freitas: Clientes do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) denunciaram a situação de extremo calor na unidade por falta da

Exclusivo: áudios desmentem o presidente Jair Bolsonaro

Jornalista diz que Bebianno vazou áudios Nos bastidores da crise que resultou na demissão de Gustavo Bebianno da Secretaria-Geral da

Governo apresenta hoje a proposta de reforma da Previdência

Expectativa é que Bolsonaro entregue a proposta pessoalmente ao Congresso. Governo já confirmou idade mínima de 65 anos para homens e 62 para

Exportação de jumentos do Brasil para a China vira caso de polícia

Cerca de 200 jumentos foram encontrados mortos em uma fazenda na cidade de Canudos, a 372 km de Salvador No final do mês passado, algum morador

No fim das contas, caso Bebianno tem o mesmo DNA da Lava Jato

Otávio do Rêgo Barros, o porta-voz da Presidência, até tentou despistar. Foi curto ao comunicar a demissão do ministro Gustavo Bebianno, e

Bolsonaro assina Projeto de Lei Anticrime

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira, 19, em solenidade no Palácio do Planalto, o Projeto de Lei Anticrime. O ministro da

UAI Brasil
O teixeirão 2018
Connect Informática
Nossos Apoiadores: