Texto publicado por Bolsonaro determina que 50% do abono anual será pago em agosto; regra precisa ser validada pelo Congresso

A medida provisória que determina o pagamento em agosto de metade do abono anual a aposentados e demais segurados da Previdência Social que recebem auxílios ao longo do ano tem seu último dia de validade nesta terça-feira (3).

Dessa forma, a regra deixará de valer na quarta-feira (4), mas isso não afetará o pagamento da segunda parcela do abono, que está sendo realizada até o dia 6. 

A medida provisória foi editada pelo presidente Jair Bolsonaro em agosto com o objetivo de tornar permanente a regra que prevê o pagamento da primeira parcela do abono - também conhecido como "décimo terceiro", em agosto. Atualmente, todos os anos o governo acaba editando regras para a antecipação do valor, dependendo do caixa disponível.

Para a regra continuar valendo para 2020, o Congresso precisa transformar a medida em lei por meio de um projeto de lei de conversão. O tema está na pauta da Câmara desta terça após ser analisado nos últimos meses por uma comissão mista de deputados e senadores. O texto também precisa ser aprovado no Senado.

O abono tem como objetivo oferecer uma gratificação extra a aposentados e dependentes do INSS e semelhante à paga aos demais trabalhadores. Cerca de 30 milhões de beneficiários têm direito ao abono, incluindo:

- aposentados

- beneficiários do auxílio-doença

- beneficiários do auxílio-acidente

- beneficiários do auxílio-reclusão

- beneficiários da pensão por morte

Desde 2006, a antecipação do abono vinha sendo definida por meio de decreto assinado pelo presidente da República. O pagamento de metade do valor em agosto, porém, dependia do caixa do governo. Com a MP 891/19, o presidente Jair Bolsonaro decidiu torná-lo permanente.

De acordo com previsão do governo em agosto, a antecipação do 13º injetaria cerca de R$ 20 bilhões na economia no terceiro trimestre.

Empresas

O relator da matéria na Câmara, deputado Fernando Rodolfo (PL-PE), incluiu em seu relatório uma proposta para que as empresas assumam o pagamento do auxílio-doença de seus funcionários por 120 dias. Hoje, essa cobertura vai só até o 15º dia de licença.

A ideia é evitar a demora no pagamento do benefício pelo INSS e a judicialização. As empresas, segundo a proposta, não terão prejuízo com a medida, pois poderão descontar este valor dos tributos devidos à União.

Fonte: R7

Câmara aprova medidas para vítimas de violência doméstica

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira, 9, o projeto de lei que estabelece medidas excepcionais para garantir às mulheres vítimas de

Bolsonaro promete anúncio de ministro da Educação nesta sexta

Presidente falou em uma pessoa "conciliadora" para o cargo O presidente Jair Bolsonaro deve anunciar o novo ministro da Educação nesta

Doria prevê vacina contra Covid-19 aprovada até dezembro

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), previu que, "se tudo correr bem", até dezembro a Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Programa Teixeira Asfaltada é ampliado como mais 93 ruas

Teixeira de Freitas: Em funcionamento desde 2017, o Programa Teixeira Asfaltada avança, alcançado mais ruas e atendendo ainda mais famílias. O

Petrobras anuncia reajuste de 5% para a gasolina nas refinarias

Novo valor entra em vigor nesta quarta-feira A Petrobras anunciou, nesta terça-feira (7), reajuste médio de 5% no preço do litro da gasolina

Cinco funcionários da Câmara de Itamaraju testam positivo para

Itamaraju: O presidente da Câmara Municipal de Itamaraju, vereador Adriano Pinaffo (PSD) resolveu nesta terça-feira, dia 7 de julho, interditar

Venda de refinarias: Ministérios defendem, após Congresso pedir

Pastas da Economia e de Minas e Energia emitiram nota A privatização de refinarias da Petrobras encontra aval em decisões recentes do Supremo

Afastamento de Ricardo Salles do Ministério do Meio Ambiente é

O Ministério Público Federal (MPF) pediu, na tarde desta segunda-feira, 6, o afastamento, em caráter de urgência, do ministro do Meio Ambiente,

Governo destinará R$ 500 milhões para proteger a Amazônia

O Ministério do Meio Ambiente criou nesta sexta-feira (3) o Programa Floresta+ para valorizar quem preserva e cuida da floresta nativa do país. O

INSS prorroga antecipação do BPC e auxílio-doença até outubro

Medida visa evitar aglomerações nas agências durante a pandemia O governo federal publicou um decreto autorizando o Instituto Nacional do

Nossos Apoiadores: