As bebidas vegetais vieram mesmo para ficar! Alternativas ao tradicional leite da vaca ou demais bebidas de origem animal já podem ser encontradas nas versões líquida e em pó. As bebidas vegetais são elaboradas a partir de grãos e sementes como arroz, soja, aveia, amêndoas, entre outros. Pesquisas apontam que 70% da população possui intolerância a lactose e 7 entre 10 pessoas sentem desconforto depois de ingerir leite.

A lactose é um açúcar presente no leite que depende de uma enzima chamada lactase para ser digerida, porém a produção dessa enzima vai diminuindo com a idade, o que torna o leite um alimento de difícil digestão, causador de flatulência e diarreia. Não só a lactose, mas também a proteína do leite pode contra indicar seu consumo.

A proteína do leite é de difícil digestão. Quando não digerida, ela faz com que o nosso sistema imunológico responda e crie anticorpos contra ela, acarretando em alergias que podem se manifestar na forma de rinite, sinusite e outras inflamações. Além de não possuirem lactose e nem proteína do leite, as bebidas vegetais ainda são livres de colesterol, caseína e gorduras saturadas, presentes em bebidas de origem animal. Podem ser incluídas no café da manhã para acompanhar as frutas ou o café preto, em receitas doces e salgadas, e batidas com frutas e fibras, o que as faz uma ótima opção para os lanches intermediários.

Em entrevista, o nutrólogo Nataniel Viuniski, membro do Conselho para Assuntos de Nutrição Herbalife, informou que as vantagens das bebidas vegetais em relação ao leite são os 15% a mais de proteína, 70% menos gordura, 0% de LDL (colesterol ruim) e é fonte de fibra, diferente do leite. “A Herbalife lançou uma bebida vegetal substituta do leite, o NutreV que é indicado para dietas com restrição à lactose e para quem deseja uma alimentação saudável e rica em nutrientes.

O melhor conteúdo nutricional são as fontes de proteínas da soja, que é uma proteína completa e contém todos os aminoácidos que o corpo não produz, mas que são essenciais”, declarou. Outro trunfo da bebida alternativa é a segurança por não haver contraindicações e a saciedade prolongada. O nutrólogo ainda afirma que o consumo da bebida regula o intestino e alimenta as boas bactérias do corpo. As bebidas vegetais são facilmente encontradas nos supermercados, texturizadas ou isoladas, com pouca diferença de preço do leite tradicional.

Fonte: Bahianoticias

Número de mortes por gripe sobe para 37 na Bahia

O número de mortes provocadas pela gripe neste ano na Bahia subiu para 37, segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (19) pelo

Secretaria realiza testes rápidos de HIV e Sífilis em Teixeira

Teixeira de Freitas: Nesta quinta-feira, dia 19 de julho, a Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas através da Secretária Municipal de Saúde

Secretaria abre sindicância para investigar caso de paciente que

Nova Viçosa: Um vídeo que circulou nas redes sociais nas últimas horas registra um cidadão sofrendo um ataque epiléptico na recepção do

OMS estuda exame de sangue que detecta câncer de pulmão

Um exame de sangue em estudo aumenta a precisão de detecção precoce do câncer de pulmão, diz a Organização Mundial de Saúde. O teste

Bahia é quinto estado que mais perdeu leitos de internação do SUS

Mais de 1,9 mil leitos de internação da rede pública foram desativados na Bahia nos últimos oito anos. O estado ocupa o quinto lugar em

Brasil tem 415 mortes confirmadas por febre amarela

Desde julho de 2017, o Brasil registrou 415 mortes por febre amarela, informa o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da

Pessoas casadas têm menor risco de morte por doenças do coração

Uma pesquisa desenvolvida por pesquisadores britânicos mostrou que o casamento pode proteger o coração. A partir da revisão de 34 estudos, com

Bahia lidera ranking de feridos por fogos de artifício

De acordo com dados do Sistema de Informação Hospitalar do governo federal, a Bahia é o estado que lidera o ranking de feridos por fogos de

Vacina contra sarampo pode ser aplicada em adultos e crianças

Brasil assiste em 2018 ao retorno do sarampo, infecção que já foi considerada "doença comum na infância" décadas antes de ser eliminada do

Brasil tem 327 mortes de crianças por zika desde novembro de 2015

O Brasil teve 327 morte de crianças relacionadas ao vírus desde novembro de 2015, quando o Ministério da Saúde passou a considerar a relação

Nossos Apoiadores: