Inicialmente, serão oferecidos apenas serviços ambulatoriais. Marcação pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h

O ambulatório transexualizador do Hospital Universitário Professor Edgard Santos (HUPES), localizado no centro de Salvador, será aberto para atendimento nesta sexta-feira (4). A unidade é a primeira a oferecer o serviço pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na Bahia.

Conhecido como Hospital das Clínicas, o Hospital Universitário Professor Edgard Santos é ligado à Universidade Federal da Bahia (Ufba). A autorização para fazer o processo transexualizador foi concedida pelo Ministério da Saúde em julho deste ano.

De acordo com a assessoria do hospital, inicialmente, serão oferecidos apenas serviços ambulatoriais. As marcações já começaram. Elas podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h, no prédio do Ambulatório Magalhães Neto. Os interessados devem apresentar documento de identidade, CPF, cartão do SUS e comprovante de residência. O atendimento ocorre às sextas.

Ainda de acordo com a assessoria, a previsão é de que o fornecimento da terapia hormonal comece a partir do início próximo ano. Para realizar as cirurgias previstas na Portaria 2803, inclusive a de redesignação sexual, a instituição aguarda autorização do Ministério da Saúde, conforme o hospital.

Para receber atendimento na unidade, os homens e mulheres transexuais e as travestis devem ter mais de 18 anos. O acompanhamento será feito por uma equipe multidisciplinar, formada por médicos endocrinologistas, enfermeiros, assistentes sociais, psiquiatras e psicólogos.

Processo transexualizador

O processo transexualizador pode ser definido como um conjunto de estratégias assistenciais para transexuais que pretendem realizar modificações corporais do sexo, que inclui a cirurgia de mudança de sexo, em função de um sentimento de desacordo entre seu sexo biológico e seu gênero.

O processo transexualizador já é realizado por meio do SUS desde a publicação da portaria nº 457, de agosto de 2008, pelo Ministério da Saúde.

O texto estabelece idade mínima de 18 anos para procedimentos que incluem acompanhamento multiprofissional e hormonioterapia. Já para intervenções cirúrgicas, a idade mínima é de 21 anos. Também é definido que, para realização do processo transexualizador, são necessários pelo menos dois anos de acompanhamento terapêutico.

Todas as unidades com o aval para realizar o procedimento devem oferecer serviços de atenção especializada com médicos das áreas de endocrinologia, ginecologia, urologia, obstetrícia, cirurgia plástica, psicologia e psiquiatria, além de enfermagem e assistência social.

Fonte: G1


Imunoterapia é aposta da medicina para vencer o câncer

Nos últimos anos, os avanços da oncologia revolucionaram a forma de tratar o câncer. Em 2018, dois pesquisadores ganharam o Prêmio Nobel de

Ministério da Saúde reforça necessidade da doação de sangue

Doação voluntária é importante para manutenção dos estoques Dezesseis brasileiros em cada mil são doadores de sangue, o que representa 1,6%

Sesab diz que parto normal é orientação preferencial, mas seguirá

A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) reafirmou que seguirá eventuais alterações no protocolos do Ministério da Saúde para a realização de

Cientistas criam técnica para alterar tipo de sangue para

Cientistas utilizaram enzimas de bactérias intestinais para transformar os tipos de sangue, para que não haja mais incompatibilidade entre

ANS suspende venda de 51 planos de saúde de 11 operadoras

Cinquenta e um planos de saúde de 11 operadoras tiveram a comercialização proibida a partir desta sexta-feira, 14. A decisão da Agência

Reinaugurado o Hospital Municipal de Caravelas

Caravelas: Não tem como passar despercebida a transformação do Hospital Municipal de Caravelas. Com a estrutura construída há mais de 60 anos,

Entenda o câncer anal ocasionado por HPV

Norte-americana teria contraído mesmo subtipo do vírus que causou câncer no marido; uso de preservativo e vacina são formas de prevenção do

Obrigação do Estado de bancar remédio de alto custo é julgado

Caso envolve fármacos que não estão na lista do Programa de Medicamentos de Dispensação em Caráter Excepcional do Ministério da

Confira os mitos e verdade sobre o uso dos preservativos

A falta de proteção e o descuido na utilização do preservativo são alguns fatores que contribuem para a disseminação de doenças sexualmente

Como 'ensinar' seu corpo a acordar cedo, segundo cientistas

Técnicas simples, como redução do consumo de cafeína e exposição ao sol pela manhã, podem ajudar a ajustar relógio biológico Mudanças

Nossos Apoiadores: