Entenda por que você não deve negligenciar o acúmulo de gordura no órgão

Segundo estimativas, a esteatose hepática (gordura no fígado) será em um futuro próximo a maior causa de doença hepática crônica no mundo ocidental, acometendo 17-46% dos adultos. Pelas projeções, também será a maior causa de transplante hepático no mundo, superando a hepatite C. Mas diante de fatos tão alarmantes, por que muitas vezes acabamos negligenciando a esteatose?

"Ah, meu fígado tem gordura, mas nada demais". Talvez esse pensamento seja tão simplificado pelo fato de o tratamento ser tão básico: perder peso. Sim, apesar de muitos estudos indicarem certos benefícios do uso de medicamentos para a esteatose - como vitamina E, por exemplo - não há nada tão eficaz para "limpar" o fígado quanto emagrecer.

E quando falamos em reduzir a esteatose hepática, na verdade estamos falando de agir sobre uma série de eventos que também levam ao desenvolvimento do diabetes tipo 2. Sim, porque o elo comum é a conhecida resistência à insulina. A resistência à insulina aparece como consequência do ganho de peso, quando o pâncreas fabrica mais insulina na tentativa de controlar a quantidade de glicose no organismo.

E esta quantidade de glicose vem da alimentação ruim e de hábitos sedentários - não ocasionando "queima" da glicose para gerar energia no corpo. Sobra insulina, o organismo se defende enfraquecendo a insulina e a consequência é, à longo prazo, o desenvolvimento de Diabetes tipo 2 e, no fígado, o acúmulo de gordura dentro das células - chamadas de hepatócitos.

Seguindo esse raciocínio, o caminho inverso é o que desejamos. A perda de peso vai regular o funcionamento do pâncreas e reduzir o acúmulo de gordura no fígado. O que preocupa enquanto o emagrecimento não vem é o risco de cirrose. Um fígado com gordura é um órgão sobrecarregado que pode inflamar (esteato-hepatite ou hepatite por gordura), e diante de uma inflamação crônica, pode desenvolver fibrose.

A fibrose é como se fosse uma cicatriz, que dificulta o funcionamento correto. Fibrose e mais fibrose... e o processo de cirrose se instala. A partir daí a cirrose vai deteriorando o fígado até a falência hepática - e nesse caso somente o transplante pode ser alternativa.

Hoje existem protocolos para o diagnóstico e tratamento da esteatose, desde exames de sangue, ressonância magnética para avaliação da quantidade de fibrose e de gordura e até biopsia do fígado. É importante ficar atento e agir em caso de diagnóstico de esteatose, pois o que aparentemente parece um quadro de "simples"acúmulo de gordura pode, em anos, seguir para cirrose.

Fonte: Minha Vida


Imunoterapia é aposta da medicina para vencer o câncer

Nos últimos anos, os avanços da oncologia revolucionaram a forma de tratar o câncer. Em 2018, dois pesquisadores ganharam o Prêmio Nobel de

Ministério da Saúde reforça necessidade da doação de sangue

Doação voluntária é importante para manutenção dos estoques Dezesseis brasileiros em cada mil são doadores de sangue, o que representa 1,6%

Sesab diz que parto normal é orientação preferencial, mas seguirá

A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) reafirmou que seguirá eventuais alterações no protocolos do Ministério da Saúde para a realização de

Cientistas criam técnica para alterar tipo de sangue para

Cientistas utilizaram enzimas de bactérias intestinais para transformar os tipos de sangue, para que não haja mais incompatibilidade entre

ANS suspende venda de 51 planos de saúde de 11 operadoras

Cinquenta e um planos de saúde de 11 operadoras tiveram a comercialização proibida a partir desta sexta-feira, 14. A decisão da Agência

Reinaugurado o Hospital Municipal de Caravelas

Caravelas: Não tem como passar despercebida a transformação do Hospital Municipal de Caravelas. Com a estrutura construída há mais de 60 anos,

Entenda o câncer anal ocasionado por HPV

Norte-americana teria contraído mesmo subtipo do vírus que causou câncer no marido; uso de preservativo e vacina são formas de prevenção do

Obrigação do Estado de bancar remédio de alto custo é julgado

Caso envolve fármacos que não estão na lista do Programa de Medicamentos de Dispensação em Caráter Excepcional do Ministério da

Confira os mitos e verdade sobre o uso dos preservativos

A falta de proteção e o descuido na utilização do preservativo são alguns fatores que contribuem para a disseminação de doenças sexualmente

Como 'ensinar' seu corpo a acordar cedo, segundo cientistas

Técnicas simples, como redução do consumo de cafeína e exposição ao sol pela manhã, podem ajudar a ajustar relógio biológico Mudanças

Nossos Apoiadores: