Os chatos (e perigosos) do mato

Bzzz… Até o mais zen dos aventureiros já perdeu a paciência diante de um irritante zumbido ao pé do ouvido ou de uma picada dolorida na canela. Além de infernizarem a nossa vida, as espécies catalogadas de mosquitos, existem vários transmissores de doenças como a febre amarela. Conheça alguns.

Quem é: “bad boy” da selva, é um dos principais mosquitos veiculadores da malária. Esconderijo: o “mala” ama a Mata Atlântica e um de seus points prediletos é a Serra do Mar.

Hora do rango: O dia todo, mas principalmente à tardezinha. É nesse horário que a fêmea mais necessita de sangue para amadurecer as células que darão origem aos ovos.

Cuidado: Sabe aquelas bromélias lindas? Mantenha distância, pois a espécie se cria nesse tipo de planta.

Fuga: Já que não há vacina contra a malária, a saída é se precaver com o bom e velho repelente. Quando o sol está se pondo, use blusas de manga comprida e calça.

Haemagogus janthinomys

Quem é: De longe parece um simples mosquitinho indefeso, mas se trata do principal transmissor da febre amarela no Brasil.

Esconderijo: O danado adora sangue de macaco e por isso se instala na copa das árvores. Ataca também perto do chão e, na falta de primatas para petiscar, curte trekkeiros, corredores de aventura e mountain bikers, em especial na costa do país.

Hora do rango: Durante o dia, quando está quente, a fêmea costuma sair para dar um rolê e matar a fome.

Cuidado: Com buracos nos troncos ou lugares muito úmidos, onde preferem morar. Choveu? A população do bicho aumenta em até seis vezes. Se o dia está quente, então, nem se fale (a temperatura ideal para sua reprodução gira entre 23º C e 27º C).

Fuga: Não tem muito jeito: a melhor defesa é tomar a vacina contra a febre amarela, disponível em aeroportos e rodoviárias. Se estiver programando uma viagem pela mata, principalmente a da costa, vacine-se 15 dias antes, para desenvolver a imunidade contra a doença.

Mosquitos do gênero mansonia

Quem são: Uns dos insetos mais estressantes do mato. Não transmitem doenças muito graves (com exceção de algumas encefalites), porém são tão abundantes e esfomeados que podem acabar com a diversão.

Esconderijo: Em toda a área rural do Brasil e, nas cidades, em lugares como parques e reservas.

Hora do rango: No chamado crepúsculo vespertino, ou seja, no cair da noite, quando a temperatura é mais amena. O bichinho é esperto: ao sair nesse horário para lanchar, ele perde menos água para o meio em que vive.

Cuidado: Com os chamados aguapés, aquelas plantinhas bonitas que vivem boiando em lagoas e em remansos de rios. Para flutuar, elas têm ar dentro de suas raízes. É aí que os mosquitos mansonia grudam seus sifões.

Fuga: Infelizmente não há muitas formas eficazes de evitar o inseto. As fêmeas são vorazes, atacam em grupo e possuem um aparelho bucal poderoso, capaz de furar até calça jeans. Se você quiser mesmo fugir, procure um local fechado.

Mosquitos do gênero simulium

Quem são: Os populares e temidos borrachudos.

Esconderijos: Mato Grosso, Minas e Rio. Em São Paulo, no litoral norte – especialmente em Ilhabela, onde fazem a festa em todas as praias.

Hora do rango: Preferem fazer sua boquinha de manhã e à tarde, mas, se estiverem famintos, mordem o dia inteiro.

Cuidado: Os danados se amarram em cachoeiras, rios e córregos de águas cristalinas e costumam descansar em árvores eplantinhas pelo chão.

Fuga: Além de repelentes, uma boa dica para quem for a lugares como Ilhabela é tomar vitamina B6 horas antes de topar com esses insetos de picada dolorida – aliás, a vitamina B6 é eficiente contra todos os tipos de mosquito, mas deve ser tomada somente para encarar locais com alta densidade de insetos.

Mosquitos do gênero coquillettidia

Quem são: Irritantes até dizer chega, têm características parecidas com as dos mansonia. Não veiculam muitas doenças, mas têm o poder de tirar a concentração até do mais zen dos atletas outdoor.

Esconderijo: São vidrados em água parada e também costumam se instalar nas raízes dos aguapés.

Hora do rango: Assim como grande parte dos mosquitos, preferem as horas do dia em que o sol pega mais leve, como o entardecer.

Cuidado: Como atacam em bando e dão várias picadas de uma só vez, podem causar uma série de alergias no corpo devido a um líquido anticoagulante que depositam em nossa pele quando mordem.

Fuga: Repelentes, roupas leves de manga comprida e bonés são as únicas armas que temos contra eles. Quem tem propensão a reações alérgicas deve conversar com um médico sobre a possibilidade de tomar algum antialérgico antes de atividades no meio do mato.

XÔ, MOSQUITADA!

Produtos bacanas para você se livrar das mordidas

Mosquiteiro BugStop (Kampa) – Primeiro e único mosquiteiro para o uso em redes de dormir ou bivaques (acampamento ao relento). Possui zíper para facilitar a entrada e saída, é compacto e muito fácil de instalar.

Repelente Exposis Extreme: produto promete de até 10 horas de proteção máxima proteção contra picadas de insetos transmissores de doenças como dengue, Zika, chikungunya, febre amarela e filariose.

CURIOSIDADES

Você sabia que…

… os mosquitos são atraídos pelo CO2 liberado por nossa respiração? Por isso ficam zumbindo sem parar perto dos ouvido de suas vítimas.

… só as fêmeas picam, enquanto os machos alimentam-se do néctar das flores?

… quem produz muito ácido lático, liberado por exemplo no suor, tem mais chances de ser picado?

Fonte: Go Outside


Centro Especializado de Reabilitação ganha novas especialidades

Teixeira de Freitas: O Centro Especializado de Reabilitação de Teixeira de Freitas (CER 4) está qualificado para atender as demandas

Prefeitura promove reestruturação para agilizar marcação de

Teixeira de Freitas: “A Regulação de Teixeira de Freitas já ficou boa e vai ficar ainda melhor com as novidades”. A afirmação é da dona

Nova terapia promete reduzir mortes por infecção generalizada

Medicamento chamado IRSh* combinado com antibióticos convencionais muda a "cara" da bactéria e corrige resposta do sistema

O sucesso do áudio pornô, que atrai cada vez mais mulheres

A indústria pornográfica migrou das fitas para o DVD, do DVD para internet, e agora acompanha a tendência de sucesso dos podcasts com uma

Uso de maconha medicinal é aprovado pela Anvisa

A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou por unanimidade a legalização do uso medicinal da maconha. De acordo com o site Hypeness,

Veja os relatos de brasileiros que vivem a traumática paralisia do

Priscila Matos tem paralisia do sono há 25 anos, desde os 10 anos de idade "Eu tive essa sensação pela primeira vez aos nove anos. Acabei

Relatório identifica situação degradante em 40 hospitais

Vistorias feitas em 2018 apontam violência e exploração de trabalho Inspeções em 40 hospitais psiquiátricos de 17 estados das cinco regiões

Dezembro Vermelho: CTA realiza testes rápidos de HIV

O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) deu início nesta segunda-feira (02), às ações de conscientização do Dezembro Vermelho, com

Governo descarta problemas com vacina contra HPV

Técnicos analisaram reações em jovens que tomaram a vacina no Acre O Ministério da Saúde defendeu o resultado da avaliação de uma equipe de

Como acontece a morte cerebral

Desde o início do ano até setembro, foram 425 notificações de morte encefálica na Bahia, segundo a Sesab O cérebro parou de funcionar às

Nossos Apoiadores: