O tratamento, por enquanto só testado em ratos, mostrou que pode mudar as propriedades das células tumorais do câncer de mama

Uma das características que tornam o câncer altamente letal é que ele pode se espalhar pelo corpo, afetando não apenas o órgão em que aparece, mas todo o organismo.

Em termos médicos, isso é chamado de metástase. Mas agora um novo tratamento feito com células do câncer de mama - e até o momento só testado em camundongos - mostrou resultados excelentes para evitar esse fenômeno.

Os resultados são de uma pesquisa realizada por cientistas do Departamento de Biomedicina da Universidade de Basileia, na Suíça, publicada na revista Cancer Cell.

Crescimento celular

Geralmente, as células cancerígenas podem mudar suas propriedades moleculares para adotar as características de outros tipos de célula e, assim, separar-se do grupo original. Uma vez livres, elas podem migrar para outras partes do corpo por meio da corrente sanguínea.

Esse processo, conhecido como transição epitélio-mesenquimal, é chave no desenvolvimento embrionário. E quando se trata de células cancerígenas, ele é a arma mais poderosa para espalhar a doença.

Em seus estudos, o grupo de cientistas da universidade suíça conseguiu usar esse processo para agir contra a própria célula tumoral, impedindo-a de entrar na corrente sanguínea.

Isso porque, quando as células mudam suas propriedades para iniciar a transição epitélio-mesenquimal, elas também se tornam mais mutáveis.

Os cientistas deram aos roedores usados na pesquisa uma combinação de duas drogas: uma para diabetes tipo 2, chamada rosiglitazona, e um inibidor do crescimento e disseminação de células cancerígenas, o trametinibe.

O tratamento, de acordo com a pesquisa, mostrou que as células cancerígenas foram convertidas em gordura em vez de continuar a divisão celular que precede a metástase.

As células adiposas resultantes eram iguais às células adiposas comuns, que não podem ser transferidas para outros tecidos nem se mover pelo organismo por meio de vasos sanguíneos.

Os responsáveis pelo estudo esperam que, no futuro, a terapia possa ser utilizada ao lado dos tratamentos quimioterápicos e consiga impedir o crescimento do tumor e sua disseminação para outros órgãos ou tecidos.

Fonte: BBC News


Cidades da região têm água contaminada, revelam testes de Ongs

Testes realizados pelas empresas de abastecimento de municípios brasileiros mostram que algumas cidades da Bahia consomem um perigoso coquetel

Simaria diz que trocaria dinheiro que já guardou para ter saúde

Simone, 34, e Simaria, 36, foram convidadas para participar do programa Altas Horas deste sábado (20), na Globo, e cantaram ao lado de Marília

Não quero ser o único, diz primeira pessoa do mundo curada do HIV

Primeira pessoa do mundo curada do vírus HIV, o americano Timothy Ray Brown (53), que em princípio era chamado de “paciente de Berlim”,

Saúde: qual a importância da prevenção?

“Prevenir, é melhor que remediar” -  expressão antiga que ainda faz todo sentido nos dias atuais. Quando se trata de saúde, quanto mais cedo

Caravelas se prepara para realizar a conferência de saúde

Caravelas: A população de todo o município está participando da mobilização local, em cada unidade de saúde de Caravelas. Esse trabalho vai

HMTF faz captação de múltiplos órgãos para doação

Teixeira de Freitas: A equipe da Organização de Procura de Órgãos (OPO) Extremo Sul, sediada no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas,

Gripe: Teixeira inicia campanha de vacinação no dia 10 de abril

A Secretaria de Saúde de Teixeira de Freitas já está se preparando para a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que acontecerá entre

Prefeitura de Teixeira inicia obras de melhorias no Hospital

Teixeira de Freitas: A Prefeitura de Teixeira de Freitas iniciou mais uma importante obra na cidade. Trata-se da reforma do Hospital Municipal. Os

Caravelas vai reinaugurar o Hospital Municipal

Caravelas: As obras foram realizadas pelo município com recursos próprios em toda a estrutura física (hidráulica, elétrica, revestimento,

Jovem morre após ter parasitas descobertos em seu cérebro

Um jovem de 18 anos morreu após ter parasitas em seu cérebro, de acordo com um estudo de caso publicado no "New England Journal of Medicine".

UAI Brasil
Nossos Apoiadores: