Teixeira de Freitas: O Centro Especializado de Reabilitação de Teixeira de Freitas (CER 4) está qualificado para atender as demandas intelectuais, físicas, auditivas e visuais. As duas novas especialidades foram confirmadas com a publicação da Portaria Nº 3.164, de 3 de Dezembro de 2019, assinada pelo Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

A Unidade foi preparada para atender estas especializações desde a sua fundação, entretanto, só estavam habilitadas, junto ao Ministério da Saúde, as reabilitações física e intelectual. Com a publicação da Portaria, o Centro também atuará com as qualificações auditiva e visual. “Agora somos CER 4 de verdade”, comemorou o secretário de Saúde de Teixeira de Freitas, Hebert Chagas, referindo-se as quatro especialidades.

Esse ganho para a saúde pública de Teixeira de Freitas e região é resultado da movimentação do secretário Hebert.  Ele esteve em Salvador na semana passada em reunião com os conselheiros e responsáveis pelo processo de qualificação dos Centros de Reabilitação na Bahia. Na ocasião, o secretário expôs os investimentos do município em equipamentos e mão-de-obra. A ação deu início à apreciação e por fim, a confirmação das novas habilitações.

O diretor do CER 4, Marcelo Mattos, confirmou que mais de 80% dos equipamentos já foram adquiridos, os profissionais estão contratados e as reformas feitas com orçamento próprio do município estão praticamente finalizadas. Segundo o diretor, “graças ao empenho da Prefeitura, logo nos primeiros meses de 2020, as quatro especializações estarão ativas”.

Atualmente, o Centro atende cerca de 1 mil pessoas vindas dos 21 municípios da macrorregião de Teixeira de Freias. Com o incremento, a expectativa é de 2 mil usuários ativos. “Foi com muita emoção que recebemos esta informação”, declarou o diretor.

Todo o cidadão atendido no CER 4 tem acesso à equipe multidisciplinar, que atua para promover a autonomia do indivíduo, promovendo sua reinserção nas rotinas de trabalho, familiar e as demais. Trata-se de um acompanhamento integral, em que o paciente tem acesso gratuito aos profissionais especialistas e também aos equipamentos, tais como: cadeiras de roda, bengalas, próteses e outros.

Por: Liberdadenews/Ascom


O que é a sepse, doença que mais mata no mundo

Segundo estudo assinado por 24 pesquisadores de universidades de seis países baseado em registros médicos de 195 nações, 11 milhões de pessoas

China isola três cidades para tentar frear epidemia de coronavírus

Além de Wuhan, os municípios vizinhos de Huanggang e Ezhou foram isolados pelas autoridades; o governo de Pequim cancelou as festas de Ano Novo por

Grande Mutirão da Saúde entra na segunda etapa

Teixeira de Freitas: O Grande Mutirão da Saúde de Teixeira de Freitas entrou na segunda etapa. Nesta fase, são iniciadas as cirurgias. A ala de

Vigilância Epidemiológica investiga se balconista de farmácia

Eunápolis: A Vigilância Epidemiológica de Eunápolis investiga se o balconista de uma farmácia morreu em decorrência da gripe H1N1. Narciso da

Prefeito Temóteo Brito visita circuito do Grande Mutirão da Saúde

Teixeira de Freitas: Neste sábado, 18, o prefeito de Teixeira de Freitas, Temóteo Brito, visitou a estrutura do Grande Mutirão da Saúde. Ele

Teixeira: Mais de 3 mil cadastros são realizados no primeiro dia do

Teixeira de Freitas: O Grande Mutirão da Saúde de Teixeira de Freitas, logo no primeiro dia de cadastramento, superou a marca de 3 mil registros.

Conselho reduz de 21 para 18 anos idade para mudança de sexo

Reposição hormonal só será permitida após os 16 anos O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou na última quinta feira no Diário Oficial

Saúde mental deve atender crianças e jovens com câncer

Médico diz que atendimento deve envolver toda a família O atendimento oncológico tem que estar integrado a um centro de tratamento

Morre o jornalista Erival Guimarães, aos 61 anos

Faleceu nesta sexta-feira, 10, no Hospital Santa Izabel, o jornalista Erival Guimarães, de 61 anos, ex-assessor de comunicação da Secretaria de

Número de grávidas com HIV aumenta quase 40% em dez anos

O número de grávidas com HIV no Brasil vem crescendo desde 2008, de acordo com os últimos dados do Boletim Epidemiológico de HIV/Aids

Nossos Apoiadores: