Nos últimos dias, uma escultura que assustou muita gente no ano passado voltou a ser assunto em conversas de mães e pais. De aparência cadavérica e apelidada de boneca Momo, ela estaria surgindo em vídeos da plataforma YouTube Kids, aterrorizando e sugerindo que crianças cometessem automutilação. Segundo o YouTube, não há nenhuma evidência de que a Momo esteja aparecendo nos vídeo. Seja fake news ou não, pais ficaram apreensivos e as crianças amedrontadas.

Como a pequena Maria Sophia, de 5 anos. A sua mãe, a enfermeira Priscila Braga notou que a filha passou a apresentar comportamento diferente do normal. “Ela estava estranha, aparentando muito medo e não queria dormir sozinha”, descreveu Priscila. Naquele momento, Priscila ainda não tinha visto a repercussão do caso. Na última segunda-feira (18), quando passou a ser bombardeada por alerta no whatsapp sobre a boneca Momo, a enfermeira ligou os pontos. “Fui tentar conversar com Sophia, perguntar se ela sabia sobre o caso e ela se desesperou. Chorava compulsivamente, me pedia para não falar sobre a boneca e não queria que eu saísse de perto dela”, contou.

O jeito foi procurar ajuda de um psicólogo, que a aconselhou a não tocar mais no assunto perto da filha. Além disso, Priscila passou a aconselhar outras mães e descobriu que a situação pela qual passou não foi isolada. “Todas as mães que conversei, estavam passando pela mesma situação ou conhecem alguma criança que está em pânico por causa da boneca”, comenta.

Após a experiência, Priscila passou a ajudar outros pais a lidarem melhor com a situação. “Na ajuda em que procurei, fui informada que a melhor forma de se evitar problemas como esse não é restringindo o uso do celular. Ao invés de deixar os pequenos com acesso livre ao aparelho, é necessário assistir aos conteúdos, baixá-los e só assim, deixar que eles assistam”, aconselha.

Para Flávia Brandão Bomfim, psicóloga e pós-graduanda em Neuropsicologia, as crianças são um público-alvo “fácil”, pois possuem dificuldades de nomear e reconhecer os seus próprios sentimentos. “As crianças possuem muito tempo livre e, na maioria das vezes, utilizam os aplicativos da internet sem nenhum tipo de monitoramento do pais. Vale ressaltar também que esses desafios são bem elaborados, chamam atenção e as crianças não sabem diferenciar o que é uma brincadeira boa da ruim”, destaca.

Bomfim também ressalta que as escolas precisam estar sempre oferecendo palestras para pais e alunos sobre o mau uso da internet, cursos de aperfeiçoamento para professores e ter em sua grade curricular eventos regulares sobre temas atuais. “Acredito que depois desse jogo os pais vão prestar mais atenção no que os filhos assistem e o que fazem na internet. E o papel da escola é estar sempre conscientizando os jovens para os benefícios e malefícios das redes sociais”, ressalta.

Agência Educa Mais Brasil

Campanha #CientistaTrabalhando é foco para processo científico

Ciência precisa estar no debate do dia a dia, diz especialista Chamar a atenção para o processo científico em meio à pandemia do novo

MEC anuncia que Enem será em 17 e 24 de janeiro de 2021

Provas digitais vão ocorrer em 31 de janeiro e 17 de fevereiro O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que teve a aplicação adiada por causa

Começam hoje inscrições para o Sisu

Pela 1ª vez, serão ofertadas vagas na modalidade a distância A partir de hoje (7), estudantes que participaram da edição de 2019 do Exame

Capes prorroga inscrições para 75 mil vagas em cursos a distância

Elas podem ser feitas até o dia 24 de julho As inscrições para 75 mil vagas para capacitação a distância oferecidas pela Coordenação de

Sisu.2: inscrições começam nesta terça (7) e vão até

Consulta de vagas do Proni também foi liberada De hoje até a próxima sexta-feira, 10, estudantes que participaram da última edição do Exame

Aplicativo do Enem terá simulados e provas de edições anteriores

Estudantes que buscam formas de se preparar para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem contar com mais uma ferramenta. A nova versão do

MEC abre consulta pública do Catálogo de Cursos Técnicos

Contribuições podem ser enviadas até a sexta-feira O Ministério da Educação (MEC) abriu, nesta segunda-feira (6), a consulta pública da

Conheça Ana Carla Carlos, estudante aprovada em seis universidades

Para dar continuidade nos estudos, Ana Carla lançou uma campanha para arrecadar recursos Ser agente de transformação é o sonho da estudante

Após sofrer acidente na adolescência, jovem decide fazer enfermagem

Aos 23 anos, Victor Ramos atua como técnico em enfermagem em um posto de saúde A maioria das pessoas sempre questiona o porquê de passarem por

Covid-19: biblioteca da CAPES contribui para pesquisas sobre o vírus

O acervo disponibilizado pela biblioteca é gratuito Diversos pesquisadores de pós-graduação, inclusive aqueles que se dedicam aos estudos sobre

Nossos Apoiadores: