O senador Romário (Podemos-RJ) afirmou, em entrevista ao programa Bem, Amigos, do canal fechado SporTV, que pretende ser candidato ao governo do Rio de Janeiro nas eleições de 2018. O ex-jogador afirmou que é “bem provável” que esteja na disputa pela sucessão de Luiz Fernando Pezão (PMDB). “Bem provável que eu seja um candidato.

Teremos reuniões dentro do partido. Hoje, já posso falar que sou pré-candidato”, afirmou. Romário está na política desde 2010, quando se elegeu deputado federal pela primeira vez, pelo PSB. Em 2014, se elegeu senador com a maior votação da história do Rio para o cargo: 4,6 milhões de votos. Em junho de 2016, chegou a se anunciar como pré-candidato socialista à prefeitura, mas acabou desistindo cerca de um mês depois.

Neste ano, deixou a legenda e migrou para o PTN, que foi refundado com o nome de Podemos. Em setembro, próximo ao primeiro turno das eleições municipais, o ex-jogador acabou anunciando o apoio ao então colega de Senado, Marcelo Crivella (PRB), que acabou eleito prefeito. Crivella, no entanto, não deve devolver o apoio: o prefeito defende a pré-candidatura do seu secretário de Infraestrutura, Urbanismo e Habitação, Indio da Costa(PSD), ao governo do estado.

Romário deve ser o segundo esportista na disputa pelo cargo. Ex-técnico da seleção brasileira de vôlei, Bernardinho trocou o PSDB pelo Partido Novo neste ano e cogita disputar o governo ou o senado. O campeão olímpico, inclusive, já teria cogitado o nome do ex-secretário de Segurança Pública José Mariano Beltrame (PMDB) para ser candidato a vice-governador. Pesquisa Pesquisa de opinião divulgada pelo instituto Paraná Pesquisas em julho coloca Crivella como o único que estaria na frente de Romário em um cenário pesquisado para a disputa da vaga de Pezão.

No cenário apontado, o prefeito do PRB teria 27,8%, o senador do Podemos, 14% e o ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB), 9%. Na sequência, viriam Bernardinho com 7,7%, Indio da Costa, 5,7%, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, que é cotado por partidos, aparece com 4,4%. Na parte de baixo da tabela, ficaram o deputado Rodrigo Maia (DEM), com 3%, o vereador Tarcísio Motta (PSOL), com 2,3% e o prefeito de Niteroi, Rodrigo Neves (PV).

Neto diz que fusão DEM-PSL busca formar 'o maior partido do Brasil'

A intenção da fusão entre o Democratas e PSL é formar “o maior partido do Brasil”, segundo o ex-prefeito de Salvador e presidente do DEM,

Vereador que tentou desobrigar uso de máscara morre de covid-19

O vereador Thiarles Santos (PSL), de Uberlândia, Minas Gerais, morreu nesta sexta-feira, 17, em decorrência da Covid-19. Com 34 anos, ele era um

Preço médio da gasolina sobe pela 7ª semana seguida nos postos

O preço médio da gasolina subiu pela 7ª semana nos postos do país, de acordo com levantamento realizado pela Agência Nacional do Petróleo,

Prefeito de Teixeira se reúne com vereadores, secretários e

Teixeira de Freitas: Na manhã desta sexta-feira (17), o prefeito de Teixeira de Freitas, Dr. Marcelo Belitardo, se reuniu a equipe da Gestão

Lula segue com vantagem e lidera corrida presidencial contra

Nova pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta sexta-feira, 17, pela Folha de S.Paulo, revela os índices de intenção de voto para a

Datafolha: reprovação do governo Bolsonaro atinge 53%

Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta quinta-feira, 16, pela Folha de S.Paulo, revela que a reprovação do governo Jair Bolsonaro segue

Rui nomeia Pelegrino como conselheiro do TCM

A nomeação de Nelson Pelegrino para o cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) foi publicada em edição do Diário

Teixeira: Eujácio Dantas dá mais um passo na política e é o novo

Teixeira de Freitas: Eujácio Dantas, considerado por muitos um dos melhores Secretários de Saúde da história de Teixeira de Freitas, é o novo

Morre, aos 69 anos, a jornalista e marqueteira política Bete

A jornalista, publicitária e marqueteira política Bete Rodrigues faleceu às 21h deste domingo (13), em casa, na Praia do Canto,

STF e TSE não devem recuar após declaração de Bolsonaro

O Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não têm a intenção de recuar nas agendas de trabalho após a

Nossos Apoiadores: