O presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou, na quarta-feira (18), a medida provisória (MP) que torna permanente o piso de R$ 400 no âmbito do Auxílio Brasil, programa substituto do Bolsa Família. O texto foi publicado, sem vetos, no Diário Oficial da União desta quinta (19).

A medida foi aprovada de maneira simbólica pelos senadores em 4 de maio e seguiu para a sanção. O chefe do Executivo assinou o texto nesta tarde, em cerimônia de sanção com outros projetos de lei no terceiro andar do Palácio do Planalto. A cerimônia não estava prevista na agenda do presidente.

De acordo com a nota do Planalto, o custo do programa será de R$ 88,5 bilhões. Destes, R$ 47,5 bilhões já eram gastos inicialmente com o Auxílio Brasil.

O desenho do benefício extraordinário temporário foi adotado em dezembro do ano passado porque o governo precisava de uma nova fonte permanente de receitas para bancar uma ampliação significativa no valor do programa, como exige a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal). Essa fonte seria a taxação de lucros e dividendos, inserida na proposta de reforma do Imposto de Renda, mas o texto acabou travando no Senado.

Sem a fonte de compensação, Bolsonaro editou em dezembro do ano passado uma MP criando o benefício extraordinário até o fim de 2022 -o suficiente para atravessar o ano eleitoral sem violar a LRF.

Desde a edição da medida, porém, o governo obteve no Congresso a aprovação da PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios, que adiou o pagamento de dívidas judiciais da União e flexibilizou o teto de gastos, âncora fiscal do governo que limita o crescimento das despesas à variação da inflação.

Um dos dispositivos da emenda constitucional promulgada a partir da PEC autoriza o governo a regulamentar, em 2022, as condições, normas de acesso e demais requisitos do programa social sem necessidade de atender aos limites legais para aumento de despesas --na prática, afastando a LRF.

Um parecer jurídico da PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional), emitido em 28 de dezembro, indica que esse dispositivo autoriza o governo a tornar permanente o valor de R$ 400 sem necessidade de uma fonte de compensação.

A avaliação é que a LRF já autoriza a criação de despesas temporárias sem necessidade de uma fonte permanente de receitas. Por isso, segundo uma fonte do governo, o dispositivo constitucional só faz sentido se a interpretação for a de que ele abre caminho a despesas que repercutem em outros anos, desde que voltadas para o combate à pobreza.

Na equipe econômica, a avaliação é que, tendo base jurídica e legal, o benefício de R$ 400 já tem espaço garantido dentro do teto de gastos e também já está contabilizado nas metas fiscais estimadas para este e o próximo ano. Ou seja, não há uma restrição orçamentária à proposta.

Além disso, politicamente era muito pouco provável qualquer governo reduzir o valor dos atuais R$ 400.

Apesar disso, o tema é polêmico, e dentro do próprio governo não há consenso. Há técnicos que fazem uma interpretação mais restritiva da norma, uma vez que ela cita o "aumento de despesa no referido exercício", ou seja, a dispensa valeria apenas para este ano.

Até mesmo técnicos do TCU (Tribunal de Contas da União) entendem, em análises preliminares, que as exigências da LRF deveriam ser observadas para o período a partir de 2023.

Fonte: Bahianoticias

PTB confirma 'diálogo avançado' com Neto e divisão interna por

De candidatura própria a apoiador da candidatura bolsonarista na Bahia com João Roma (PL), o PTB já transitou por vários caminhos. Porém o

Cármen Lúcia envia à PGR segundo pedido de investigação de

Nesta terça-feira, 28, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia enviou para a Procuradoria-Geral da República (PGR) nova

Embasa informa manutenção emergencial e suspensão temporária de

Teixeira de Freitas: A Embasa informa que, devido ao quebramento da adutora de água tratada, provocado por serviço da secretaria municipal de

Bolsonaro confirma general Braga Netto como vice

Em entrevista no fim da noite do domingo, 26, o presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou que irá ter em seu chapa como candidato a vice o general

Datafolha: Lula tem 19 pontos de vantagem sobre Bolsonaro no 1º

A nova pesquisa Datafolha - contrata pela Folha de São Paulo e registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número 09088/2022- divulgada

Bolsonaro sanciona com vetos projeto que limita ICMS sobre

O presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos o projeto que limita o Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviço (ICMS) sobre itens

Moraes determina imediato bloqueio de perfis do PCO nas redes sociais

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que plataformas efetuem o imediato bloqueio dos perfis do Partido da

Daniela Mercury abre processo contra Eduardo Bolsonaro por

A cantora Daniela Mercury processou o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) por difamação. A artista baiana acusa o político de divulgar

Polêmica: Secretário de Saúde de Teixeira explica o não repasse

Teixeira de Freitas: No Jornal Liberdade da Rádio Eldorado FM, desta quarta-feira (15), o jornalista Edvaldo Alves conversou com o secretário de

O extremo sul é invisível para a Bahia, afirma Tenente Coronel

Pré-candidato a deputado estadual, França disse que a região sofre um eclipse de atenção só sendo observado a cada quatro anos. O Tenente

Nossos Apoiadores: